sexta-feira, 30 de julho de 2010

Em frente o destino

Ele estava na rua,
Esperava.
Ela apareceu.
Nada fora combinado,
Simples acaso.
Já fazia anos que não se viam
Velho amor que nunca morreu

Por uma hora
A conversa foi ótima.
Lembraram,
Sorriram,
Fingiram que estava tudo bem.

Uma conversa calma
Casual, como jamais fora,
Sem diretas nem indiretas,
Sem promessas ou concessões...

O celular toca,

Ela atende, mente .
Desliga e me olha
Aqueles velhos olhos doces,
Sádicos.

Vou por aqui.
Ela disse
É só seguir em frente e você chega lá!

Um beijo de despedida,
Diferente de todos, sem calor
A despedida de um velho amor
De tempos remotos, oníricos.

"Só seguir em frente..."
Não é tão simples,
Nunca foi.
Acho que isso eu não conseguirei

2 comentários:

  1. Já falei que você precisa e merece uma mina mais tranquila, meu caro!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir